quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Vencendo desafios

Gabriela Andersen-Schiess nos Jogos Olímpicos de Verão de 1984
Hoje, pela primeira vez depois do retorno, consegui dar uma volta completa no percurso. Foi emocionante. Me senti uma atleta cruzando a linha de chegada e arrebentando aquela feita com o peito. Foi lindo.

Como estabeleci aqui quando voltei, umpasso de cada vez. Foi assim, correndo e caminhando que consegui minha primeira volta depois do retorno. Lembro que antes eu corria 12km ininterruptamente. Eu a centro das atenções na pista que pratica corrida anteriormente. Muita gente queria correr comigo.

Acredito que se eu conseguir manter este ritmo, logo estarei correndo meus 10km diariamente. Não estou mais sentindo dor muscular, estou naquela vibe de “viajar”. Vivo meus sonhos, descanso a mente e ativo o melhor da minha criatividade. Correr faz bem e eu recomendo.


Lembre-se, não sou especialista neste assunto. Sou apenas um gordo em tratamento. 

Cozinhando para mim mesmo

Imagem da internet 
Muita gente reclama que cozinhar para apenas uma pessoa é ruim, mas tem que goste. Eu adoro cozinhar sozinho, é o tempo que uso para comer minhas “gororobas” light. Este tempo também pode ser usado para experimentar novas receitas.

Hoje na hora do almoço eu fiz filé de Tilápia grelhado, arroz integral e um molho de soja com tomate e cebola. Ficou simples e saboroso. Demorou o tempo suficiente para o arroz cozinhar. Eu gosto de prepará-lo do modo tradicional.

Hoje escolhi peixe pois estava em promoção no supermercado perto da minha casa e há muito tempo não comia. O preparo não tem segredo e é muito rápido.

Dica para cozinhar o arroz integral

Existem pessoas que deixam o arroz na água por muito tempo, a ideia e deixa-lo amolecer de molho e depois de umas quatro horas prepara-lo. Já fiz e deu certinho. Veja mais dicas.


terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Um gordo em tratamento

A corrida hoje teve um gosto de renovação, de um novo começo. A local que corro, Parque Ipanema em Ipatinga, estava lotado. Várias pessoas, talvez por ser a primeira semana do ano ou pelo fato de eu estar em um horário diferenciado. A corrida foi sacrificante.

Sacrifiquei toda a comida que como se não houvesse amanhã eu comi nestas duas semanas do final do ano. Fui passar a virada de ano em Santa Luzia, levei tênis e não corri. Enganei a mim mesmo durante todos estes dias que estive lá. Cheguei hoje de viagem e não pode faltar a corrida.


Hoje senti não sentir dor, mas ainda não consegui controlar o ar. Fiquei sem fôlego para várias vezes. Sei que isso é questão de tempo. Não vejo a hora de sair correndo os meus antigos 12km sem parar. Força e foco que um dia chego lá [novamente].